CEI aponta falhas na administração da Santa Casa

Na sessão da Câmara de segunda-feira (15/5), foi lido em plenário o relatório final da Comissão Especial de Inquérito que investigou a Santa Casa, a partir de denúncias nas redes sociais do ex-diretor técnico, o médico Eduardo Cerioni.

A CEI concluiu que há falhas e omissões na gestão da Santa Casa, tanto administrativas como financeiras. A dívida total da entidade era de R$ 6,5 milhões em 2013 e atualmente é de R$ 11,5 milhões, ou seja, praticamente dobrou em menos de quatro anos.

Também se confirmaram as denúncias que indicavam problemas na manutenção de equipamentos cirúrgicos, no controle de estoque de medicamentos, falhas nos procedimentos de cobrança dos convênios médicos e praticamente nenhum controle do patrimônio.

De acordo com a Comissão, e ao contrário do que apontava o denunciante, as instalações e equipamentos do centro cirúrgico são de boa qualidade, não comprometem o trabalho dos médicos, nem trazem risco aos pacientes.

A CEI sugere, entre outras medidas, mudanças no setor financeiro e de manutenção, melhorias nos controles dos procedimentos internos, e que seja vedado aos médicos o uso da estrutura da Santa Casa sem o devido pagamento.

Recomenda também o fim da intervenção do poder público na Santa Casa, que deve voltar a ser dirigida por profissionais, pois ao longo dos últimos onze anos os problemas financeiros só se agravaram e sem nenhuma perspectiva de solução.

A CEI teve como presidente o vereador Julião, como relator, Roberto Cogo, e como membros Beto do Gás, Marcinho Guerreiro e Peneira Pedra Branca.

Para conhecer o relatório completo acesse o link da sessão de 15/5

https://www.youtube.com/watch?v=F5BoCpca1r0